terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Coisas da Política, 17 e 18 de fevereiro de 2009

Com a presença de 10 dos 11 vereadores, a Câmara Municipal de Parauapebas realizou sessão solene, nesta segunda-feira (16), na reabertura de seus trabalhos. Várias autoridades e convidados participaram da sessão, entre elas a deputada Bel Mesquita (PMDB) e o prefeito em exercício, Afonso Andrade (PP).

 

Furacão

O deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA) é mais um no olho do furacão iniciado na eleição da nova Mesa Diretora da Câmara Federal. Eleito para a 4ª Suplência, ele é acusado por ocupar um apartamento funcional depois do fim do mandato.

Improbidade

Segundo o Ministério Público, Giovanni Queiroz manteve sua família morando no imóvel da Câmara, em 2003. Naquele ano, ele não era mais deputado federal, pois havia se candidatado a vice-governador, em 2002, quando perdeu a eleição.

Legislativo

Recomeçam, nesta terça-feira (17), as sessões da Câmara Municipal de Marabá. Nos bastidores, a grande expectativa gira em torno da atuação do G-7, o grupo de sete parlamentares que se uniu para eleger a Mesa Diretora da Casa.

Incógnita

Todos querem saber como será a conduta do G-7 na votação de matérias de interesse do Executivo. Afinal, a Mesa presidida pela vereadora Júlia Maria Ferreira Rosa Veloso (PDT) foi escolhida em clima de tensão e forte atrito com o prefeito Maurino Magalhães de Lima (PR).

Carnaval

O deputado João Salame (PPS) está tentando, junto ao secretário de Estado de Cultura, Edilson Moura, a liberação de recursos para o carnaval marabaense. O dinheiro, que tem grandes possibilidades de ser liberado, deverá ser repassado à prefeitura.

Desrespeito

O serviço de auto-atendimento do Banpará em Marabá ficou praticamente cinco dias sem funcionar. De quinta-feira da semana passada até ontem (16), os clientes – a maioria formada por servidores públicos – não podiam fazer nem saques.

Mau exemplo

Como banco público, o Banpará deveria ser exemplo de respeito aos clientes e aos cidadãos em geral. Deveria, mas não é. Se isso serve de consolo aos desvalidos clientes do banco oficial, nos bancos privados o atendimento também é imprestável.

Filas

Cite-se o exemplo do Bradesco, que recentemente inaugurou uma agência no núcleo Cidade Nova. Ali, quatro máquinas de auto-atendimento foram instaladas, mas, nos fins de semana, somente uma delas funciona, irritando os clientes que enfrentam longas filas para um simples saque.

Críticas

O líder da oposição na Assembléia Legislativa, deputado José Megale (PSDB), quer saber porque o Estado vai pagar, sem licitação, mais de R$ 500 mil para um consultor em saúde pública. O contratado é o ex-secretário de Saúde de Belém, Edmundo Gallo.

Providências

Megale diz que vai acionar o Ministério Público para apurar os questionamentos que cercam o contrato de R$ 42 mil mensais. E diz não entender porque o Estado foi contratar Gallo, que mora atualmente no Rio de Janeiro, em detrimento de profissionais do Pará.

 

Objetivando enfrentar a crise, a Vale está renegociando todos os seus contratos. A empresa quer manter as condições para continuar seus investimentos e, por isso, está se adequando ao cenário da crise financeira internacional.

Nenhum comentário: